Cabrabom visita Casa Restaura-me com ONG Vinde a Mim

Local atende mais de 450 moradores em situação de rua por dia. O objetivo é a reinserção dessas pessoas na sociedade.

No dia 5 de agosto, Cabrabom visitou a Casa Restaura-me, Brás, Zona Leste da capital. "O trabalho deles é maravilhoso. Pessoas que não tem atenção de mais ninguém recebem apoio para se reestruturar e ter uma nova vida", afirmou Cabrabom.

A Casa Restaura-me é um núcleo de convivência que acolhe moradores de rua para orientação moral e espiritual. O local oferece, ainda, assistência social, jurídica, alimentação, higiene, além de serviços que auxiliam o público que deseja sair dessa situação.

O gerente da Casa Restaura-me, Leandro Laurentino, contou que o trabalho é diário e centenas de moradores em situação de rua são reinseridos na sociedade. "Nós trabalhamos com eles de domingo a domingo atendendo uma média de 450 pessoas com almoço, café da manhã, atendimento socioeducativo e religioso", relatou.

Para Laurentino, o objetivo é o resgate da cidadania deles. "Muitos tiveram uma história de vida onde não pôde ser trabalhada a ideia de ser cidadão, trabalhador. É o que eles vão conseguindo com o atendimento social, colocando em ordem a documentação, entrando no mercado de trabalho. Tudo para que possam participar da sociedade", concluiu o gerente.

Na ocasião, a ONG Missão Vinde a Mim, que tem uma parceria com a Casa Restaura-me, também esteve presente. "Nossa parceria não é para falar de religião, mas do amor de Jesus", destacou pastor Ricardo, presidente da ONG.

Ele explicou que a Vinde a Mim dá respaldo para dependentes químicos, órfãos, viúvas, estrangeiros, moradores em situação de rua e todas as pessoas necessitadas, e ainda falou sobre a participação de Cabrabom na ONG. "Ele sempre nos ajuda. Tem sido nosso braço direito e por isso nós o colocamos como nosso padrinho", afirmou.

Após o culto realizado pela ONG Missão Vinde a Mim, Cabrabom conversou com cerca de 200 pessoas atendidas pela Casa Restaura-me para lembrar que também passou por uma situação muito difícil. "Eu cresci em comunidade. Só com 18 anos, como policial militar, consegui melhorar minha condição. Tenho certeza de que todos vocês terão força para crescer e continuar no caminho certo, como muitos aqui já fizeram", incentivou Cabrabom.

Postado em 05/08/2016